O mestre do primeiro mestre
 

Havia um cachorro que latia a toda hora e o dono vivia dizendo: "Cão que late não morde!". Um dia, um amigo disse-lhe: "Então explique isso pro seu cachorro, porque ele acabou de me morder".

A Natureza é o que é. Ela não dá a mínima importância às teorias criadas pelo homem. Tudo na Natureza funciona como deve funcionar, à revelia de todos os conceitos e explicações, por mais elegantes ou complexos que sejam.

Os antigos chineses diziam que a Natureza é sábia. Por isso, afirmavam que ser sábio é seguir as leis da Natureza, fundamentalmente porque o próprio homem é fruto dela.

A Natureza nos oferece lições preciosas em todos os lugares, a todo o momento. Basta prestar atenção e observar com reverência o que ocorre à nossa volta, assim como se reverencia a um velho e sábio mestre. Nesse tipo de sabedoria, encontramos pensamentos retirados dos textos da Antiga China como: "A água vai pelo caminho mais fácil", "O bambu curva-se num vendaval para não quebrar", "Sempre a Primavera, nunca as mesmas flores". Ou, ainda, a divertida e não menos profunda frase falada pelos peões de alguns estados brasileiros: "Boi que não bebe água ou já bebeu ou vai beber".

De repente, é como se estivéssemos ouvindo a voz de um velho mestre, ou melhor, a voz do mestre do primeiro mestre: a Natureza.


Texto Trecho do livro A sabedoria da Natureza, de Roberto Otsu, Editora Ágora, S. Paulo.


voltar para artigos